Fim-de-semana dos Pendones Alantre
3 de Junho | Sexta-feira

- 09h00 - Saída de Lisboa
- PROGRAMA EM ABERTO (Almoço na Sertã - Torre de Moncorvo, Visita ao Museu do Ferro e Igreja Matriz)
- 19h00 - Chegada ao Hotel em Sendim
- 20h00 - Jantar em Sendim
- 21h30 - Casa do Pauliteiro (Junto ao Hotel)

4 de Junho | Sábado

- 9h00 - Saída de Sendim
- 10h00 – Visita a S. Pedro Nave - Igreja Visigótica

A Igreja visigoda de San Pedro de la Nave encontra-se situada na localidade de El Campillo, pertencente ao município de San Pedro de la Nave-Almendra, na província de Zamora e foi declarada Monumento Nacional a 22 de Abril de 1912.

O templo remonta a finais do séc. VII, tendo sido construído entre os anos de 680 e 711, ou seja, antes da conquista muçulmana, confirmando-se esta informação este monumento deve tratar-se de uma das últimas obras da arte visigótica.

Originalmente esteve situada nas margens do rio Esla mas, ao construir-se a barragem de Ricobayo, para que não ficasse submergida pelas águas, por iniciativa de Manuel Gómez-Moreno. Esta operação foi levada a cabo entre os anos de 1930 e 1932, sob a direcção do arquitecto Alejandro Ferrant Vásquez.

- 11h00 – Saída Espanha, Urueña
- 12h00 - Chegada a Urueña e Visita à Vila
- 13.00H - Almoço
- 14.30H - Visita aos Museus locais
- Museu Centro Etnográfico
- Fundación Joaquin Diaz
- Museu de Instrumentos do Mundo
- Museu dos Sinos - Museu do Livro
- Visita a Livrarias da Vila
- Passeio pela Vila

Urueña é um município e localidade espanhola da província de Valladolid, pertencente à comunidade de Castilla y Léon. Possui uma das áreas urbanas melhor conservadas da província de Valladolid, oferecendo ao visitante o aspecto de uma pequena cidade medieval. Por este motivo foi declarada Conjunto Histórico-Artístico em 1975. Conserva grande parte da muralha com as suas portas, alguns lanços do castelo, casarões de pedra de certa qualidade e a igreja paroquial gótico-renascentista de Santa Maria del Azogue.

De muitos lugares do seu espaço urbano podem obter-se boas vistas panorâmicas do território circundante, convertendo Urueña num miradouro da paisagem da Tierra de Campos. Fora da zona urbana destacam-se os pombais e a ermida santuário de Nuestra Señora de la Anunciada, um dos melhores exemplos do românico catalão na meseta castelhana.

Acolhe o Centro Etnográfico Fundación Joaquín Díaz e o Museu Luís Delgado (de instrumentos musicais do mundo), a Sala de exposições Mercedes Rueda, Museu dos Sinos e Museu dos Gramofones.

Em 2007, Urueña foi declarada a primeira "Villa del Libro de España", motivo pelo qual está incluída dentro na rede de vilas do livro do mundo.

A Vila do Livro é uma atrativa proposta de turismo cultural que a província de Valladolid oferece aos viajantes e bibliófilos de todo o mundo. Este ambicioso projeto cultural está inspirado noutras vilas do livro existentes na Europa: Hay-on-way (País de Gales), Redu (Bélgica), Montoli (Francça), Bredevooort (Holanda.)... O denominador comum de todas elas é a dinamização económica, cultural e turística a partir da recuperação dos espaços públicos como lugares de compra e venda de livros e a celebração de eventos culturais ligados à literatura.

Villa del Libro tem, repartidas por ruas e praças, livrarias e estabelecimentos para o exercício da actividade comercial e artesanal de livros, preferentemente antigos, raros ou descatalogados: El Rincón Escrito, Librería Páramo, Librería Enoteca "Museo del Vino", Alcuino Caligrafía&Arte, El Grifilm, La Bodega Literaria, Bibliomanía, Boutique del Cuento, Librería Almadí, Librería Alcaraván e Taller de Encuadernación de Urueña.

O Centro e-Lea Miguel Delibes é o coração da Villa del Libro: um centro para a promoção do livro e da cultural, com 1296m2 de área, onde se encontra uma biblioteca especializada, oficinas, sala de exposições e um pequeno jardim. Como complemento possui uma sala para eventos, com capacidade para 100 pessoas, palco de congressos, simpósios, jornadas, conferências, apresentações e leituras. Possui uma exposição permanente intitulada "Entre Lineas. Una Historia del Libro".

- 17h30 - Regresso a Sendim
- 20h00 - Jantar
- 21h30 - Convívio na Moagem com projeção de um documentário e cânticos tradicionais

5 de Junho | Domingo

- 09h00 - Partida para Fariza (Zamora)
- 10.00H - Chegada a Fariza (Zamora)
- Assistência á chegada dos Pendões
- Escabeche ao meio dia com convívio musical
- 13h00 - Picnic
- 15h00 - Grande Procissão

Fiesta de Los Viriatos (homenagem ao lusitano Viriato) ou Fiesta de los Pendones, também designada de Fiesta de Nuestra Señora del Castillo. Dezenas de pendões (alistanos, sayagueses e mirandeses), alguns dos quais atingindo mais de dez metros de altura, concentram-se durante a manhã na localidade de Fariza, em plenas Arribes del Duero. Comparecem centenas de músicos, de povoações de ambos os lados da fronteira e ao meio-dia é oferecido escabeche a todos os presentes, no meio de grande animação.

Todos os romeiros se acantonam nos bosques em piquenique de convívio (que nos seria servido pelo Hotel Encontro, de Sendim, especializado neste tipo de refeições campestres).

Pela tarde sairá a procissão dos pendões (mais de três dezenas, alguns dos quais exigindo o concurso de 2 a 4 "remadores" que os orientam retesando cordas de equilíbrio), com milhares de pessoas e centenas de músicos a percorrerem cerca de seis quilómetros, a pé, até ao santuário da Señora del Castillo, sobranceiro ao Douro, tendo do lado de Portugal à vista a aldeia de Freixiosa (Miranda do Douro). Atendendo à extensão do percurso, assistiríamos em Fariza à passagem da procissão, porque o regresso a Portugal (Lisboa) o exigirá. É uma romaria verdadeiramente única.


- 16.00H - Saída para Lisboa
- 22.00H - Chegada a Lisboa